17 de jul de 2011

Saudades...

Oi, amiga
Às vezes te vejo criança
às vezes te vejo mulher
às vezes te vejo com bons olhos
Às vezes te vejo como se quer
Mas toda vez que te vejo
Mesmo não tendo nenhum desejo
Não posso me esquivar do real
Mesmo estando aqui na net
Mesmo sendo virtual
Seu sorriso é o que impera
Sua simplicidade vale pela espera
E toda vez que acontece
Quando você não aparece
Como aumenta a vontade
Como o desejo de ver você tão meiga
em mim me cresce.
 (A de Antônio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário