24 de mai de 2013

não sei por que ...
















Não sei por que
ainda penso assim
não sei por que
você me diz que pensa em mim

Não sei por que
você me deixou assim
Não sei por que
me driblou assim
nem sei por que
não falo mais de você
nem sei por que
você lembra de mim

Passo por esse tempo de espera
por isso talvez seja por isso
que misturo inverno com primavera
não entendo por que neste outono
frio e calor
passou a ser minha quimera

nem sei por que
ainda lhe mando poemas
ainda ecoam em mim
sinais de esperança
não sei por que
ainda olho pra você
e a vejo intransponível
e me vejo tão criança

ainda mesmo impedido
pela minha falta de juízo
eu imploro , clamo, aflito
mas você finge não escutar
o meu grito

mas eu quero que regresse
fazendo acordar em mim
tudo aquilo que na saudade
a gente esquece

acho que tudo isso
é porque eu preciso
de você
apenas receber aquele sorriso


A de Antônio

Nenhum comentário:

Postar um comentário