1 de ago de 2011

O outro

No início era um,
tinha elegância no andar
malícia no olhar
suavidade na voz
a paixão era atroz.
Era só poesia
amor noite e dia
eterna cumplicidade
promessa de felicidade.
Do nada surgiu o outro,
com andar trôpego
com sorriso torto
e o encanto acabou.
Procuro no outro
o que tinha o antigo
o que aconteceu com ele?
o que aconteceu comigo?
Às vezes no outro eu vejo
um gesto,um brilho fulgaz
uma ponta de sorriso
rápido, apenas um lampejo
do que o antigo tinha,
será que eu vi mesmo
ou foi impressão minha?
Como dois espíritos
ocupando o mesmo corpo
clamo desesperada por um
só me aparece o outro.

autora:   ZIZA

Nenhum comentário:

Postar um comentário